quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Experimentar o gouache

O guache nunca me despertou nenhum apelo para experiências, acho que o culpado foi o trauma que ganhei com um trabalho de escalas de cor que fiz no 1º ano da universidade, jurei que nunca mais lhes pegava e ficaram mesmo de lado! Mas as experiências que vi o António Procópio fazer em plena residência artística, despertaram-me alguma curiosidade, os resultados foram mesmo interessantes e fiquei com vontade de lhes dar uma oportunidade. Kit mínimo de cores primárias, não vá ser mau investimento, mas acho que sim, vou repetir :) (e pela primeira vez a minha mãe olhou para o seu retrato e disse que até que não estava mau!)


sábado, 9 de setembro de 2017

ASk à quarta #42

Desta vez estivemos no café "o Lavrador em Vilar" a desenhar aviões :)


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Trinta Sete das Seibeiras

Quando vou ao centro de Aveiro ao fim da tarde, prefiro estacionar num local que é livre e andar mais um bocadinho, que andar às voltas à procura de estacionamento. Muitas vezes fico com o carro virado para esta casinha do outro lado do canal, cujo nome me chamou a atenção. Encontro sempre alguém a regar uma pequena horta em seu redor. Fica situada num local em que parece deslocada do seu meio, mas antes da construção da estrada que a separa da sua Marinha, estaria bem no seu lugar. É a casa de arrumos da Marinha Trinta Sete das Seibeiras, e que pertence ao grupo Sul das Marinhas de Aveiro, um dos cinco em que se organiza o Salgado de Aveiro.

Aproveitei e fiz uns rabiscos com a Bic num cadernito que levo sempre. O nome não o conseguia ver bem pois estava a ficar escuro e em casa procurei na net. Encontrei a imagem do painel de azulejos num site de arquivo fotográfico dedicado aos azulejos. Foi feito na fábrica Aleluia.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Barragem a duas cores

Dois desenhos da barragem de Santa Luzía, o primeiro a caneta de aparo e o segundo a bic.



domingo, 27 de agosto de 2017

Encontro POSK no Parque Biológico de Gaia

Passei uma bela manhã no Parque biológico de Gaia, com a excelente companhia dos POSK e demais que se juntaram. Apesar do calor, à sombra estava bastante fresco e os animais bastante sossegados para se poderem desenhar!

 
 
Eu pelo Raimundo

sábado, 26 de agosto de 2017

Monumento a Cristo Operário

Este monumento na Barroca Grande data de 1967. Quem entra pela localidade por cima, vindo da Pampilhosa, encontra este monumento no meio do pinhal do lado esquerdo. Já foi um local mais sossegado, reservado à solenidade que lhe era merecida, mas um recinto de festas foi construído aqui e uma série máquinas ligadas ao espólio antigo da mina foram aqui plantados tipo museu aberto.
Fiz batota e retirei tudo o que estava à impedir a vista do monumento.
Ladeando e sustendo com um enorme esforço o chão onde a estátua de Cristo assenta, estão dois mineiros. Nunca me tinha apercebido mas a estátua de Cristo segura um grande martelo na mão esquerda.
Estava a ficar frio e escuro quando fiz este desenho, a minha ideia era de algo imponente e expressivo, mas acabei por despachar o desenho de uma forma que não me agradou muito ... tenho de lá voltar, está decidido!

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Opel Rekord 1900

Tirei as teimas dos desenhos de carros! Era algo que sempre evitava pois nunca me saíam bem e resolvi que havia de ser com o carro que me acompanha desde a infância, o Opel Rekord 1990 que o meu pai tem desde 1973. Talvez o fator emocional tenha ajudado um pouco! Ainda tem alguns erros técnicos mas a segunda tentativa já me deixou mais satisfeita!
Neste segundo desenho dei primeiro a mancha vermelha em todo o papel e só depois comecei a defini-lo com brilhos, contrastes e sombras. Não usei caneta preta como o primeiro, apenas posca branca, aguarelas e ecoline branca.



quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Barragem de Santa Luzía

Os rochedos desta barragem são sempre apetecíveis de desenhar. O paredão fica contido entre duas formações rochosas de quartzito. É muito bonita :)


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A lavaria das Minas da Panasqueira

Nas Minas da Panasqueira explora-se o volfrâmio e a lavaria é o local para onde a pedra extraída das minas é levada de modo a se fazer a separação do minério do inerte. Todo o complexo industrial onde este processo toma lugar pode ser observado de uma forma abrangente e bem de perto. Os vários "módulos" revestidos a chapa ondulada e por vezes descarnados, são ligados por esteiras que transportam o mineral e a pedra, que se cruzam e criam uma teia que aos meus olhos sempre foi muito interessante do ponto de vista estético.
Era assim que desta vez a via, cinzenta e suja.


grafite

grafite aguarelável

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Encontro POSK no Cais da Afurada

Um belo dia com cheiro a maresia :)


Exercício de desenhos de 5 minutos.